Amor é incompreensão

Como é possível reconhecer um amor sincero e duradouro de uma paixão que logo, logo se esvai?

Por Diana Corso

Quando se ama, o pior inimigo não é, como dizem por aí, o costume. Ele pode ser traduzido em intimidade, à guisa do elogio. A rotina pode ser deliciosa, porto seguro da alma, lugar onde ancorar a salvo do medo. A mesmice do outro não é chatice, é repouso.

A duração de um amor não esbarra nisso, é a idealização das escolhas que a abala. Somos tolos como insetos em volta da lâmpada. Ficamos trocando de parceiro, renovando a expectativa de algo maior, relançando as apostas num encontro absoluto. Balela. Amar é combater o desencontro a cada dia. Escute Clarice Lispector: “Pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente”.

O convívio não destrói o mistério, pelo contrário. Viver uma vida toda ao lado de alguém é resignar-se a não decifrá-lo. Não nos saciaremos um no outro. Ele nunca chegará a nos pertencer definitivamente. Um rio separa os amantes, travessias são possíveis, mas as margens não fundirão.

Gulosos, consideramos que a felicidade seria fazer-se um: queremos mais do que encaixe, o objetivo é zerar a distância, virar uma só laranja. Nesse caso, melhor casar com o espelho ou seguir em busca desse par perfeito, pulando de promessa em promessa, procurando no amor o tesouro escondido da felicidade.

O problema é que o Amor e a Felicidade sofrem da mesma sina. São inflacionados, acima de tudo incompreendidos e costumam não ser reconhecidos quando estão presentes em nossas vidas. Por natureza, eles são discretos, deixam-se estar, dispostos a um bom papo, uma tacinha de vinho. Mas em geral são ignorados. Depois de um tempo, partem incógnitos. Os que não souberam reconhecê-los sequem têm motivo para lamentar por isso. A ignorância os protege.

Já a Paixão e a Euforia nunca passam despercebidas. Causam furor quando chegam. São barulhentas, jogam confetes em si mesmas e somem sem que se saiba quando foi que a Ressaca tomou seu lugar.

Os amantes ingênuos são mais afeitos ao estilo destas últimas. Como num parque de diversões eterno, ficam em longas filas, na chatice da espera, para viver instantes de vertigem. Prefiro gastar meu prazo tomando um vinho com a Intimidade. Essa é mais próxima da Felicidade. Acho que nunca terminarei de comemorar a permanência do amor como um presente que recebo a cada dia. Um pacote de presente que nunca abro.

O mistério de seu conteúdo faz parte da felicidade de tê-lo em mãos.

79860.213392

Anúncios

Namore com um cara que viaja

Esse texto foi originalmente publicado em inglês no blog Where Are My Heels e nos faz pensar na importância de namorar um cara que viaja, seja ele mochileiro ou uma pessoa que curta um all inclusive. Claro que eu precisava postá-lo aqui, pois me identifiquei totalmente.

Namore um cara que viaja

Namore um garoto que tenha mais experiências ricas que brinquedos caros, uma pulseira hippie feita a mão ao invés de um Rolex. Namore um garoto que dê risada quando ouve as palavras férias, all-inclusive ou resort. Namore um garoto que viaja não porque está cego por um único objetivo, mas motivado por vários.

Você encontra esse cara num aeroporto, ou numa livraria procurando guias de viagem, os quais ele “só os usa como referência”. Você vai saber que é ele porque quando espiar a tela de seu computador, e o plano de fundo vai ser uma cena de esplêndidas montanhas rochosas, vales ou bandeiras de oração.

O Facebook dele vai ser lotado e seu mural terá mensagens num inglês meia boca “Miss-you” de amigos que ele fez ao longo do caminho. Quando ele viaja, ele faz “amigos pra vida toda” em uma hora. E os quais o contato com esses amigos é esporádico e talvez espaçado, porém fortes e inquebrável e, se ele quisesse, poderia ter um sofá para dormir no mundo inteiro… de novo!

Compre pra ele uma cerveja, talvez a mesma do slogan da camiseta que ele está vestindo por debaixo de uma camisa xadrez, impedindo-o de ir embora. Uma vez que um viajante volta pra casa, raramente as pessoas escutam suas histórias. Então escute-o, deixe que ele pinte um quadro que te traga para dentro do seu mundo. Ele pode falar rápido e deixar passar alguns detalhes mas é por que ele estará muito empolgado por ser ouvido. Incentive o entusiasmo dele. Deseje isso para você também.

Ele vai vibrar que nem criança quando a última edição da National Geographic chegar pelo correio, para logo em seguida crescer e ser adulto de novo enquanto analisa todas as fotos, todas as aventuras. Na sua cabeça, ele está naquelas fotos. Ele vai te questionar sobre seus sonhos, e com competitivamente sobre a coisa mais louca que já fez na vida. Diga a ele. E saiba que provavelmente ele vencerá. E se você tiver alguma chance de vencer, saiba que o próximo objetivo da vida dele será te superar. Mas então ele dirá “talvez a gente possa fazer isso juntos!” .

Namore um garoto que vive bem apenas com uma mochila, porque ele é feliz com menos. Um menino que viajou, viu pobreza e jantou com aqueles que vivem na favela, sem água corrente, e ainda recebem bem os estrangeiros, com maior hospitalidade que os ricos. E por conta disso, ele vê como a vida sem luxuria pode significar uma vida alimentada por relacionamentos e família, muito melhor que uma vida alimentada de carros, diversão e ego. Ele experimentou várias maneiras de ser, respeita religiões alternativas e vê a o mundo com os olhos de uma criança de 5 anos, curioso e faminto por conhecimento. Seu pai também vai ficar contente porque ele é bom com dinheiro, e sabe economizá-lo.

Esse garoto saboreia a casa, o conforto de um edredom, a segurança da comida da mãe dele, jogar papo fora com os amigos de infância e a glória de se sentir a vontade em seu banheiro. Embora ele seja ferozmente independente, teve tempo para refletir sobre si mesmo e seus relacionamentos. Apesar de seu desejo de viajar, ele conhece e valoriza seus laços familiares. Ele teve muitas vezes que perder e perder. Devido a isso, ele também sabe uma coisa ou outra sobre despedidas. Ele sabe da imensa incerteza de sair do conforto de casa, o indefinido “até logo” nos portões de embarque, e ainda assim ele vai sem medo para o desconhecido, porque ele sabe o sentimento de retorno. E que o abraço “que saudaaade” é o melhor tipo de abraço em todo o mundo. Ele também sabe que despedidas não são mais que “até logos” e que ‘Olá’ é apenas tão distante quanto o ciber-café mais próximo.

Não segure este menino. Deixe-o ir, e vá com ele. Se você não viajou, ele vai abrir seus olhos para um mundo além das notícias e da percepção popular. Ele vai trazer seus sonhos para realidade. Ele vai acalmar seus nervos quando você está prestes a perder um voo ou suas reservas de hotel não forem confirmadas, porque ele sabe que a viagem é uma aventura. Ele vai fazer graça dos ruídos desagradáveis que você faz quando você tiver uma intoxicação alimentar. Ele vai fazer você rir através do desconforto ao mesmo tempo enxugando a testa com um pano frio e cuidando de você com água engarrafada. Ele vai fazer você se sentir como se estivesse em casa.

We travel not to escape life, but for life not to escape us

Quando vocês virem algo maravilhoso, ele vai segurar forte a sua mão em silêncio, vai olhar para o chão onde está pisando no momento, e sorrir porque você está ao lado dele.

Ele vai viver em cada momento com você, porque esta é a forma como ele vive sua vida. Ele entende que a felicidade não é mais do que uma série de momentos que deslocam a neutralidade, e ele está determinado a amarrar como muitas dessas cordas juntas como ele pode. Ele também entende sua necessidade de viver para si mesmo e que você tem um bucket list – coisas para fazer antes de morrer – de seu próprio país. Entenda o dele.

Entenda que seus objetivos podem diferir em alguns pontos, mas que a independência é a base de um relacionamento saudável quando é mutuamente respeitado. Você pode perdê-lo um pouco, mas ele sempre vai voltar para casa trazendo uma nova história e uma lembrança que ele pegou porque lembrou de você, como se fosse feito para você, e porque sente sua falta.

Você pode ser obrigada a fazer o mesmo. Certifique-se de que a independência está em seu bucket list, e certifique-se que está destacada. A Independência vai manter seu relacionamento renovado e empolgante, e quando estiverem juntos novamente ele irá forjar um vínculo de confiança inquebrável.

Ele vai propor que você viole sua zona de conforto, quer se trate de um medo, como paraquedismo ou nadar com tubarões, ou sentar ao lado da pessoa fedorenta em um ônibus superlotado. Não vai ser com um anel de diamantes, mas com um símbolo de uma cultura nativa ou inspirados pela natureza, como um pinguim gravado numa pedra.

Vocês vão se casar em algum lugar incomum, cercado por um grupo seleto, em um momento construído para celebrar a aventura do desconhecido juntos novamente. Case-se com o rapaz que viajou e, juntos, vocês vão fazer do mundo inteiro sua casa. Sua lua de mel não será perdida num jantar com buffet e open-bar de praia, mas será lembrado nas fotografias triunfantes no topo do Kilimanjaro e imortalizado na dor gratificante dos músculos no final de um longo dia de caminhada .

Quando estiverem prontos, você vai ter filhos que têm os nomes dos personagens que você conheceu em suas viagens, os nomes estranhos de pessoas que cavaram um lugar especial em seu coração mesmo que apenas por alguns dias. Talvez você vai viver em outro país, e seus filhos vão aprender de língua e costumes que abrem suas mentes desde o início, não deixando espaço para o preconceito. Ele vai apresentá-los para a vida de Hemingway, o Caminho de Santiago, e capacitá-los a viver ainda mais grandiosamente do que vocês dois.

Case com um cara que viaja, e ele irá ensinar seus filhos a beleza de uma singela pedra, a história dos Incas e irá encorajá-los a um mundo de possibilidades. Ele vai explicar-lhes que agarrando oportunidades certas, não há medo. Ele vai ensiná-los a se arriscar.

E quando você envelhecer, você vai sentar-se com seus netos derramando sobre seus álbuns de fotos as lembranças de tesouros do mundo, enquanto eles também se colocam em suas fotografias, provocada pela beleza do mundo e inspirado por sua vida nele.

Encontre um menino que viaja, porque você merece uma vida de aventuras e possibilidades. Você merece viver leve e abraçar a simplicidade. Você merece olhar a vida através dos olhos de jovens e com os braços bem abertos. Porque este é o lugar onde você vai encontrar alegria. E melhor, você vai encontrar a alegria com ele. E se você não consegue encontrá-lo, viaje. Vá. Adote-o. Explore o mundo para si mesmo, porque os sonhos são o material de onde a realidade é criada.

Tradução: Yasmim Ribeiro

Fonte: Blog Vagabundo Profissional

31 de maio – Dia do Comissário de Bordo

Para quem não sabe, hoje se comemora o dia do comissário de bordo. Essa é uma data muito importante para mim, porque desde muito cedo – por volta dos 16, 17 anos, quando comecei a fazer um trabalho voluntário nos aeroportos de São Paulo e ao ver aquele pessoal que desembarcava todo uniformizado que eu descobri o que queria fazer da minha vida.

Não foi fácil: na época, eu era muito novo mesmo para fazer o curso. Quando completei a idade necessária, preferi deixar o sonho na gaveta e me graduar. Enquanto isso, fui me capacitando, melhorando meu inglês, começando a estudar espanhol na faculdade, tudo com o intuito de chegar lá. No terceiro ano de curso, fui trabalhar no aeroporto de Bauru, para ter noção de como a aviação operava. Entrei como agente de aeroporto em uma companhia que já não opera mais em minha cidade.

E foi ali que descobri que era isso mesmo que eu queria: mesmo tendo que acordar as 4h30 da manhã pra ir trabalhar, mesmo que estivesse chovendo, frio, neblina. Mesmo que dezenas de passageiros gritassem comigo porque o voo estava cancelado ou atrasado, eu estava feliz. Era aquilo: eu não tinha um emprego. Eu tinha um trabalho. Um trabalho que eu amava.

Quando me formei na faculdade, assim que tive a possibilidade, fiz o curso de comissário e sinto que estou cada vez mais perto de realizar meu sonho. Mas… que tal voltar um pouco ao passado?

Onde surgiu a profissão de comissário de bordo?

A profissão começou com uma distinta senhora, Ellen Church. Ela era formada como piloto e enfermeira. Entretanto, Steve Stimpson, o gerente do escritório de San Francisco da companhia aérea BAT (Boeing Air Transport), não queria contratá-la como piloto, mas aceitou sua sugestão de colocar enfermeiras a bordo das aeronaves para acalmar os passageiros que tinham medo de voar.

Ellen Church - primeira comissária de bordo

Ellen Church – primeira comissária de bordo

Em 1930, ela foi contratada como chefe de cabine e recrutou outras 7 enfermeiras para um período de 3 meses de experiência. Nos anos seguintes, outras companhias aéreas seguiram o exemplo da BAT, colocando comissárias de bordo nas aeronaves.

E porque o dia do comissário de bordo é comemorado no dia 31 de maio?

Em 1973, comissários da Varig, representando 44 países, participaram do Congresso dos Comissários de Vôo – Concov. O evento terminou no dia 31 de maio, com a fundação do Internacional Flight Attendants Association – IFAA -(Associação Internacional dos Comissários de Vôo). Uma canadense foi eleita para presidir a associação e o posto de vice-presidente ficou para um comissário alemão. A partir de então, 31 de maio foi estipulado como o Dia Internacional do Comissário de Vôo. Mas a data só seria decretada oficialmente em 1986. (Fonte: Livro A origem de Datas e Festas)

Então hoje, congratulo todos os meus amigos que já estão voando e aos que não estão, o sonho e a vontade, junto com a fé, nunca devem ser abalados. Se é isso que queremos para nossas vidas, uma hora vamos abrir nossas asas e voar! É só acreditarmos.

z22

Meridiano de Greenwich

Tanto nas aulas de geografia no colegial, como nas de cartografia na faculdade e depois nas aulas de navegação no curso de comissário de bordo, aprendi como ver, reconhecer, entender e calcular os fusos horários do planeta.

As zonas horárias ou fusos horários são cada uma das vinte e quatro áreas em que se divide a Terra e que seguem a mesma definição de tempo. O termo fuso denomina a porção de superfície esférica compreendida entre dois semiplanos que partem de um diâmetro da esfera, assemelhando-se à superfície externa de um gomo de laranja.

Anteriormente, por volta do ano 1300, ou já antes, usavam-se o tempo solar aparente, passagem meridiana do sol, de forma que a hora do meio-dia se diferenciava de uma cidade para outra. Os fusos horários corrigiram em parte o problema ao colocar os relógios de cada região no mesmo tempo solar médio.

fusos

Fusos horários do planeta

Em 1884, foi realizado a Conferência Internacional do Primeiro Meridiano, em Washington D. C., Estados Unidos. A proposta era padronizar a utilização mundial da hora legal. Acabou sendo aceito a teoria de Fleming. A longitude 0° passaria pelo Observatório Real de Greenwich. Os outros fusos seriam contados positivamente para leste, e negativamente para oeste, até ao Meridiano de 180º – o Anti-Meridiano, situado no Oceano Pacífico, onde seria a Linha Internacional de Data.

Marco Zero - Meridiano de Greenwich

Marco Zero – Meridiano de Greenwich

Por que estou falando disso? Semana passada, ao alterar o horário do meu computador para o horário de Dublin, percebi que ele está no mesmo fuso que Londres. Isso significa que estou na hora UTC. O Tempo Universal Coordenado (em inglês: Coordinated Universal Time), ou UTC (acrónimo de Universal Time Coordinated), também conhecido como tempo civil, é o fuso horário de referência a partir do qual se calculam todas as outras zonas horárias do mundo. Ou seja, estou no fuso zero!

Pesquisando, vi que Greenwich fica a 600km de Dublin, na cidade de Londres. Ou seja,um voo rápido até a Capital Britânica me colocaria de frente com algo que eu estudei durante tantos anos e usei durante 1 ano e meio para trabalhar no aeroporto.

Pode não parecer muito excitante para quem olha de fora, mas eu sou um apaixonado por história e estudos e quando surgem pequenas oportunidades como essa, eu simplesmente não posso perder! Na ida a Londres, esse passeio já está confirmado na lista de coisas que quero fazer.

Onde encontrar promoções de passagem aérea?

Muita gente me pergunta como consigo viajar tanto e gastando pouco. Uma das coisas que mais pesa em um orçamento de viagem é a passagem aérea, podendo chegar até 50% do orçamento (em alguns casos, até mais que isso).

A primeira coisa que devemos saber é que as companhias aéreas operam pelo seguinte sistema:

A classe mais vendida e utilizada pelos passageiros é a classe econômica do avião. Isso não quer dizer que todos os assentos possuem o mesmo valor, embora todos naquela categoria receberão o mesmo atendimento, ou seja, a pessoa sentada ao seu lado pode ter pago metade do valor do que você pagou na passagem, ou o dobro.

Focando na classe econômica (a executiva e primeira classe são mais complexas), as tarifas aéreas também são divididas em classes, normalmente nomeadas por letras, sendo a mais cara a Y (Yankee). O que diferencia uma classe da outra são as regras tarifárias.

Explico: quem comprou a mais promocional provavelmente não terá direito a nada, como por exemplo, alteração, remarcação ou reembolso da passagem. Já quem comprou a tarifa mais cara, no caso a Yankee, normalmente tem a opção de bilhete aberto, podendo alterar e modificar a passagem por um número X de vezes, dependendo apenas da disponibilidade de assento no voo escolhido.

Não é possível escolher a tarifa no site da companhia, sendo possível, em algumas, escolher a categoria na hora de definir em qual voo pretende embarcar.

Conhecido o sistema de tarifas, podemos planejar a viagem por dois métodos: o convencional e o de “loteria”.

PASSAGENS-AEREAS-EM-PROMOCAO-RELAMPAGO

O método convencional é simples, ou seja, depende apenas do planejamento. A regra é clara: quanto mais antecedência se comprar a passagem, mais barato vai-se pagar, especialmente na alta temporada (considere alta temporada como os meses de férias escolares). Embora seja o método mais seguro, é indicado para quem não quer correr riscos e consegue se planejar com bastante antecedência, lembrando que as passagens aéreas conseguem ser compradas até com 11 meses de antecedência.

O sistema de loteria é aquele em o passageiro decide esperar por uma promoção arrasadora que pode, ou não, acontecer. Nesse caso, o que vale mesmo é a sorte, embora alguns fatores são claramente identificados: oferta versus demanda, concorrência (quantas empresas voam para tal destino?), temporada (é um local mais visitado no inverno ou no verão?), etc.

Por isso, se você possui flexibilidade para viajar e pode esperar por uma promoção, aqui vão algumas dicas:

  • Cadastre-se em todos os mailing lists das companhias que voam para o destino que você pretende viajar;
  • Faça buscas regularmente em sites como decolar.com, submarinoviagens.com e skyscanner.com. Esses sites são ótimos e embora às vezes cobrem um valor um pouco mais alto que no próprio site da Cia, no caso de internacionais, possuem a opção de parcelamento.
  • Tenha em mente que o preço encontrado hoje pode não estar mais disponível amanhã. Por isso, se o preço estiver dentro do que pretende pagar e na data em que pretende viajar, compre assim que possível.
  • Normalmente, passagens compradas com ida e volta no meio da semana possuem valor mais interessante.
  • Nunca compre passagens internacionais em que haja apenas um trecho. O melhor nesse caso é adquirir a ida e volta, o preço sempre é mais interessante.
  • No caso de nacionais, vale a pena pesquisar os trechos separados, pode-se conseguir um desconto voando em duas companhias diferentes.

No mais, esqueça os problemas assim que entrar no avião e aproveite a viagem!

Hospedagem – Como achar o melhor hotel?

Gostaria de começar sendo completamente sincero: não há o melhor hotel. Mesmo os melhores resorts podem ter seus pequenos problemas, como uma barata intrometida no quarto ou um chumaço de cabelo no ralo da banheira. O post não é destinado a dizer qual é o melhor hotel segundo sua categoria, mas sim como achar aquele hotel que se encaixa no seu perfil e no melhor custo-benefício.

Nesse ponto, eu normalmente já começo com o pensamento de que minha viagem para ser ótima só depende de mim e de como vou encarar as adversidades que vou encontrar pelo caminho. Vou no primeiro obstáculo fechar a cara e deixar de aproveitar ou dizer que tudo bem, é apenas mais uma história para contar?

Quando quero ir a algum lugar, a primeira coisa que decido é sobre a passagem aérea e quantos dias pretendo ficar. Depois disso, vem a escolha do hotel. Eu não sou uma pessoa que liga muito para hospedagem. Tendo o mínimo de conforto, já está bom.

Pode ser quarto duplo, individual, compartilhado, com banheiro ou sem. O que me importa de verdade é localização, limpeza e, como já disse, o mínimo de conforto.

Então, primeiro eu pesquiso sobre os pontos turísticos da cidade e como terei que fazer para visitá-los. Às vezes o hotel mais promocional fica longe e o que se economizou com a hospedagem, acaba sendo gasto com transporte para chegar aos locais, ou até mais. Por isso, sempre avalie o custo-benefício.

Sempre utilizo três sites para achar os hoteis: decolar.com, booking.com e skyscanner.com

É legal começar pelo booking.com porque ele possui algumas ferramentas que os outros não possuem: se pode ser quarto compartilhado ou não, qual região da cidade quer se ficar hospedado (muito importante!), etc.

Quando encontro o hotel que acredito ser o melhor, aí olho o mesmo no decolar e no skyscanner para comparar preços, pois muitas vezes esses sites fecham parceria com os hoteis e pode ser que ele esteja com o preço melhor em um ou no outro.

No mais, só efetuar a reserva e esperar o dia da viagem chegar e aproveitar o que cada destino tem a oferecer!

Montevideo 2011

Aproveitamos que o voo de retorno de Santiago para São Paulo faria uma parada em Montevideo e decidimos ficar 12 horas pra conhecer a cidade.

Aeroporto de Carrasco em Montevideo

Não foi possível ver muito, o clima também não estava ajudando, mas conseguimos visitar o Mar del Plata e o churrasco Uruguaio.

Mar del Plata

No fim, como o tempo começou a ficar muito ruim, tivemos que voltar para o aeroporto e ficar horas lá esperando o voo para o Brasil.

Olha a cara de tédio da galera

No link abaixo, segue o roteiro completo dessa viagem de 20 dias na América do Sul. Os valores estão desatualizados, visto que a viagem foi feita em 2011 e o câmbio estava muito mais favorável do que está hoje, mas é possível ter uma base para realizar uma viagem desse porte.

ARGENTINA e CHILE – 20 dias

Aproveite e se motive para conhecer o nosso continente, tenho certeza de que você não irá se arrepender!