Buenos Aires – Como chegar e sair dos aeroportos

Nesse post seguem todas as dicas e informações necessárias para você não passar nenhum aperto na chegada a Buenos Aires, independente do aeroporto. Não cloquei valores, pois pode ser que sofram alteração, mas já dá pra ter uma ideia das opções de transporte.

Aeroparque Metropolitano Jorge Newbery (AEP)

DSCN0292

O Aeroparque, como é mais conhecido, é o aeroporto utilizado para vôos domésticos, no entanto também recebe vôos de países da América do Sul vindos do Brasil (LAN, Aerolíneas, GOL e TAM fazem o trecho desde São Paulo), Chile, Paraguai e Uruguai. Localizado a 15min do centro de Buenos Aires, em frente ao Rio da Prata. Fazendo um comparativo com os nossos aeroportos, poderíamos dizer que o Aeroparque esta para os argentinos como o Aeroporto Santos Dumont (SDU) e o Aeroporto de Congonhas (CGH) para nós.

Como chegar/sair do Aeroparque

REMIS

Poderíamos dizer que esse é o mais caro dos serviços oferecidos para transfer. É o serviço VIP. Geralmente são carros executivos. Logo no desembarque, existem várias  empresas que oferecem esse tipo de serviço. Estão localizadas no Setor A, A1 e A2 no térreo do aeroporto.

TÁXI

Uma opção mais barata que o Remis e também com conforto e rapidez é sem dúvida o táxi. Opte pelos credenciados logo na saída do desembarque. Do aeroporto para a região central são somente 4km, custo em média ARG$ 30,00 (Recoleta e Centro). Caso você opte pelo táxi comum, solicite sua corrida pelo taxímetro.

ATENÇÃO:  Existem “taxistas” que te abordam e oferecem serviço de táxi, sendo que ao chegar ao  carro, você verifica que ele é um particular a fim de ganhar uma grana como taxista. Cuidado!  Na dúvida pague um pouco mais e siga caminho com um táxi credenciado.

ÔNIBUS COMUM (COLETIVO)

Opção mais barata para chegar até o centro de Buenos Aires. Existem várias linhas que fazem vários trechos para diferentes lugares da cidade. Importante lembrar que os coletivos não possuem o famoso “trocado” como no Brasil e sim uma maquininha onde se paga em moedas e ela emite um ticket da viagem. Então  não se esqueça de ter “monedas” para pegar o coletivo. Para melhores informações  procure a central de informações no Aeropaque, logo na saída do desembarque, eles te explicam  de forma rápida e precisa.

Linhas de ônibus: Linha 33, linha 45 e linha 160

Aeroporto Internacional Ministro Pistarini (EZE)

DSCN0421

Comumente conhecido como  Ezeiza, é o mais importante aeroporto para vôos internacionais da Argentina e um dos mais agitados da América do Sul. Esse moderno aeroporto está localizado a 35 Km do centro de Buenos Aires.

Como chegar/sair do Aeroporto de Ezeiza

REMIS

Este serviço é igual ao ofertado no Aeroparque, por ser exclusivo é o mais caro.

TÁXI

Uma boa opção se você estiver com até 3 pessoas, pois o custo benéfico é melhor que o ônibus (transfer). Na saída da sala de desembarque é possível avistar o balcão de serviços da Cooperativa de Taxi de Ezeiza. O sistema é como em outros aeroportos, o serviço é pago no balcão e é emitido um voucher, depois o mesmo é entregue ao motorista. É possível pagar com cartão de crédito e débito.

ÔNIBUS EXECUTIVO

Excelente opção de transfer até o centro de Buenos Aires. A empresa que faz o trecho entre o centro/aeroporto (vice e versa) é Manuel Tienda Leon. O destino final do ônibus é o Terminal Madero, localizado na Av. Eduardo Madero, 1299, por trás do Hotel Sheraton na Plaza San Martin (perto da estação ferroviária do Retiro). Eles também oferece um serviço de conexão, onde o passageiro é levado até o Terminal Madero, de lá seguem em vans até  a hospedagem de destino ou para o Aeroparque. Para maiores informações, acesse o site Manuel Tienda Leon.

ÔNIBUS COMUM (COLETIVO)

Essa é a opção mais barata para chegar até o centro de  Buenos Aires. O ponto de partida (parada) no Aeroporto de Ezeiza, fica localizado em frente a  empresa administradora do aeroporto  (Aeropuertos Argentina 2000). Logo ao sair do Terminal B,  vire a esquerda a caminhe em frente. Se você chegou pelo Terminal A, terá que caminhar até o Terminal B (5 min).

Linha 51 – Rota: Essa linha pode terminar na Estação Central na Constitución ou na Estação Lanus, a viagem dura em média 1h. Sempre é bom checar com o motorista o trajeto para evitar caminhos errados Caso termine na Estação Lanus, é só pegar um Subte até a Estação Constitución. Chegando na Estação Constitución você pode pegar um dos  ônibus das linhas: 28, 9, 45, 59 ou 100 seguindo para o centro de Buenos Aires. Esse trecho é seguro e muito barato.

Linha 8 – Rota: Essa linha era conhecida como 86. Têm saídas a cada 45min e vai do Aeroporto de Ezeiza a Plaza de Mayo. Antes de subir no ônibus, tenha certeza de que na frente  está escrito EZEIZA, já que nem todos da Linha 8 vão ou voltam de Ezeiza. Seu ponto inicial no bairro de La Boca, passando pela Avenida de Mayo, Casa Rosada, Plaza Del Congreso e Mercado Central.

Dentre todas as opções, eu considero o serviço de transfer de ônibus e os táxis os melhores, pois além de estarem no meio termo, são os que dão a menor dor de cabeça na hora de chegar/sair do hotel em direção aos aeroportos. Dica: se decidir ir de táxi, sempre procure as companhias com preço fechado no balcão do aeroporto, o risco de ser enganado é menor, além do pagamento ser possibilitado através do crédito ou débito.

Anúncios

Buenos Aires – O que visitar

Se você possui um roteiro apertado como o meu, de apenas 5 dias, sendo o último perdido com a ida ao aeroporto e o primeiro começando no meio da tarde, é possível conhecer os principais pontos de Buenos Aires sem muitos contratempos.

Caso tenha escolhido um hotel no microcentro, grande parte das principais atrações podem ser feitas a pé ou estarão a uma linha de metrô de você.

ROTEIRO

Primeiro dia – Centro/governo:

DSCN0140

Almoce em algum restaurante nas ruas Lavalle ou Florida (ou arredores). Aproveite para conhecer as Galerías Pacífico e siga direto para a Plaza de Mayo. Muitas fotos pra bater na Plaza de Mayo, em frente ao Cabildo, ao Banco Central, à Casa Rosada e à Catedral Metropolitana. Após a Catedral,  pegue o Subte (metrô) – linha A – para a praça do Congresso (Estação Congreso). É possível fazer esse trajeto à pé seguindo a rua Rivadavia. Bata suas fotos e depois tome o mesmo subte, dessa vez no sentido inverso, até a estação Piedras. De volta à Avenida de Mayo, siga para uma paradinha no Café Tortoni, o mais antigo de Buenos Aires. Os fãs de chocolate têm que provar o chocolate espeso.

Segundo dia – Centro e Recoleta:

DSCN0391

Nesse dia da viagem, procure usar tênis, pois há muito para onde andar. Inicie sua jornada fazendo uma visita ao Teatro Colón e Obelisco. A partir daí, vários são os locais a visitar, cuja ordem deve ser definida pelo viajante: Cemitério da Recoleta, Centro Cultural Recoleta, Igreja do Pilar,Buenos Aires design, Museu de Belas Artes, Monumento floralis generica, Faculdade de Direito, Palais de Glace e Museu de Arte Latino-americana de Buenos Aires (Malba).

Terceiro dia – San Telmo e La Boca:

DSCN0204

Pegue o subte, descendo na estação Catedral. De lá, caminhe (1 km) ou tome um táxi com destino à Plaza Dorrego em San Telmo (é possível fazer esse trajeto a pé também, seguindo pela Avenida 9 de Julio). É lá que fica a famosa feira de antiguidades, que ocorre sempre aos domingos. Cuidado para não chegar muito tarde, pois a feira se encerra junto com o por-do-sol, quando começa um pequeno bailinho de tango em plena praça. Depois, pegue um táxi e siga até o Caminito, o local em que a cultura porteña ganha vida através de suas casinhas coloridas e seus casais dançando tango em plena rua. Vale uma visita. A 3 quadras dali, encontra-se o estádio do Boca Júniors.

Quarto dia – Puerto Madero e Palermo:

DSCN0179

Siga para Puerto Madero. Após o farto almoço em alguma das churrascarias de Puerto Madero (de preferência, o rodízio do Spettus – vide item “gastronomia”), rume para Palermo (de subte ou de táxi), para visitar o planetário, os lagos, o rosedal e o Parque 3 de Febrero. Termine sua tarde visitando o Jardin Japonés.

Buenos Aires – Onde se hospedar

A primeira vez que estive em Buenos Aires me hospedei no Florida Suites Hostel, que fica na Calle Florida. O hostel possui uma localização privilegiada em uma das ruas de compras mais movimentadas da capital portenha, ficando próxima a várias estações de metro (os hermanos chamam de subte) e a apenas algumas quadras do Obelisco e da Casa Rosada.

Dessa vez, o Florida estava com os valores muito altos e eu iniciei uma busca por outro hotel para ficar (Dicas de sites de busca de hospedagem? Você encontra aqui). O legal antes de escolher o hotel, é saber onde pretende-se ficar. Buenos Aires é uma cidade onde muita coisa pode-se fazer a pé ou de metro. Por isso, eu sempre procuro ficar em hotéis que sejam no Microcentro, pois facilita muito na questão do transporte.

Sempre avalie o custo benefício do hotel escolhido: as vezes o mais promocional se encontra tão longe de tudo, que o valor final vai triplicar pelo tanto que você vai ter que gastar com transporte para ir aos pontos turísticos.

Dessa vez, o hotel que mais me chamou a atenção foi o Hostel Parada. Eu já tinha feito uma reserva nele quando decidi ir para Buenos Aires ano passado. Mas como o tempo não agendou e eu perdi o voo, acabei não conhecendo o hostel. Dessa vez, o preço estava excelente e vi uma ótima oportunidade para fazê-lo.

DSCN0412

Saguão da Recepção Hostel Parada

O Hostel Parada também está no microcentro, mas do outro lado da Av. 9 de Julio em comparação com o Florida Suites. Ele fica em um prédio super charmoso e antigo da cidade, mas os quartos são todos reformados e possuem banheiros (um diferencial, já que a maioria dos hostels possuem banheiro compartilhado).

Aqui cabe uma ressalva: eu não sou o tipo de pessoa que liga para hospedagem. O mínimo de conforto para mim já está bom. Se você procura algum hotel no estilo 4 ou 5 estrelas, talvez esse post não seja de muita utilidade para você.

Por exemplo: no Hostel Parada, o café da manhã se limitava a leite e café quentes, mais media lunas a vontade. Só. Para muitos isso seria motivo de reclamação, pois esperamos de um hotel o café da manhã de um rei. Entretanto, eu estava mesmo preocupado em ficar bem localizado gastando pouco e para mim, aquele café da manhã, estava excelente.

Outra coisa que me chamou a atenção no Hostel – que está passando por reformas – é que todas as tomadas do quarto eram universais, então você não precisava se preocupar com adaptadores. Eu até tinha um da ultima viagem que fiz na Argentina, mas ele não precisou sair da mala.

DSCN0402Tomada Universal

Por isso, posso dizer que a escolha da hospedagem foi certeira. Estávamos próximos a tudo, conseguimos fazer todo o microcentro a pé e ficando em um local limpo e organizado. Ponto para o Hostel Parada!

Mi querida Buenos Aires (com saída de Bauru!)

Quando decidi que queria fazer uma viagem de despedida com minha mãe, eu sabia que não poderia gastar muito, pois estava guardando o dinheiro para a outra viagem. Então nada mais certo do que ir para algum destino, com saída de Bauru, em que eu pudesse viajar por milhas.

Entrei no site da GOL e comecei a pesquisar primeiramente o nordeste. Como o período era janeiro, estava impossível viajar para lá. Além das milhas, teria que ser dado uma parte em dinheiro que extrapolava o que eu pretendia gastar.

Como já havia conhecido outros destinos no sul e sudeste, decidi ver como estava o trecho de Bauru a Buenos Aires, que embora eu já tenha conhecido, sempre quis levar minha mãe para conhecer.

DSCN0154

Para minha surpresa, era possível trocar o trecho apenas por milhas pagando só taxa de embarque e com saída de Bauru! Na hora emiti os bilhetes e esperei ansiosamente pela viagem.

Para quem se interessar, o voo para Buenos Aires saindo de Bauru faz conexão em São Paulo e Curitiba na ida, totalizando em torno de 7 horas de viagem e a volta em Porto Alegre e São Paulo, totalizando em torno de 9 horas de viagem. O aeroporto de chegada em Buenos Aires é Ezeiza.

Mesmo para quem não possui milhas, o valor da passagem ida e volta para Buenos Aires com saída de Bauru se torna interessante em algumas épocas do ano, por isso, vale a pena pesquisar!

Nos próximos posts vou esmiuçar mais a viagem, deixando o roteiro bem didático para quem pretende fazer essa viagem de forma independente, que acaba ficando bem mais barato do que indo por uma agência de viagens.

 

Buenos Aires

Buenos Aires não era um dos locais que eu mais queria conhecer, mas quando a oportunidade surgiu, eu não hesitei em abraçar a ideia. Combinamos eu e Izabela de nos darmos essa viagem de presente de formatura, achamos um ótimo roteiro pelo site dos mochileiros e aproveitando que o câmbio estava favorável, embarcamos na ideia de passar 20 dias viajando entre a Argentina, o Chile e o Uruguai.

DSC02047

Voo da Ida

Acabamos optando por voar Pluna, pois era a companhia que oferecia o melhor custo benefício do trecho: iríamos de São Paulo para Buenos Aires e a volta seria por Santiago, fazendo um stop de 12h em Montevideo. O resto do percurso decidimos fazer via terrestre, de ônibus mesmo, interligando os países, o que barateou bastante a viagem.

Congresso

Depois de uma conexão trocada em Montevideo na ida, o que nos ajudou a chegar mais cedo que o esperando em Buenos Aires (ponto para a Pluna!), fomos direto para o hostel Florida Suites, com uma ótima localização no centro da cidade. Essa foi outra escolha que ajudou a baratear a viagem: optamos por ficar em um hostel com quarto compartilhado, o que nos deu a chance também de conhecer gente do mundo todo.

Como a Izabela tinha aula todos os dias de manhã, eu aproveitava esse período para conhecer a cidade a pé e acabamos utilizando o Buenos Aires Bus, que possui um ótimo custo-benefício: preço baixo e a chance de conhecer os principais pontos em um único dia. É permitido descer do ônibus e subir quantas vezes quiser no período do bilhete contratado, 24h ou 48h e os ônibus passam nos pontos de 30 em 30 minutos, tempo ideal para descer, conhecer, bater fotos e embarcar rumo a outro ponto turístico.

Locais como a Casa Rosada, Plaza de Mayo, Obelisco, Teatro Colón e Puerto Madero são facilmente encontrados a pé para quem se hospeda no centro, por isso, utilize o ônibus para conhecer locais mais distantes, como Caminito, La Bombonera, etc.

Puerto Madero, o bairro mais novo de Buenos Aires

A gastronomia em Buenos Aires é excepcional: é possível encontrar cozinhas internacionais, locais baratos para degustar uma boa refeição e claro, o famoso churrasco com chorizo. A dica é o restaurante Siga La Vaca, que fica em Puerto Madero, mas vários restaurantes espalhados pela cidade também possuem ótimas opções de refeições.

Gastronomia Portenha: difícil não se deixar levar pelos diversos sabores

Deixar para conhecer alguns pontos durante a noite também podem trazer o ar charmoso de Buenos Aires. A Casa Rosada e a Ponte do Tango são exemplos disso:

Também aproveitamos o penúltimo dia em Buenos Aires para conhecer Tigre, uma pitoresca cidade a uma hora de trem de Buenos Aires que possui parques pela cidade e um ótimo parque de diversões. Esse, eu tive que conferir!

No último dia, eu estava apaixonado por Buenos Aires e seu clima europeu. O modo como nossos hermanos lidam com sua história e cultura é de se comover: eles tem orgulho de tudo isso! Decidi que esse era um local que eu gostaria de voltar mais vezes.

Seguimos via terrestre para Bariloche no 7º dia. Mas esse trecho da viagem fica para um próximo post.